Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





02/03/14

MÁSCARA


Põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara.
Soltou o cabelo e olha-se ao espelho.
- sou eu ou a máscara?
Já não se conhecia. Ninguém naquela casa se preocupa com o que ela faz ou deixa de fazer, com o que sente ou deixa de sentir. Quantas páginas da sua vida desmembradas em silêncio. Sempre a viram sorrir.
Mulher, mãe, amante, irmã e amiga!
Desgastada, entende-se no leito e seu marido com brutalidade aperta-a contra o peito.
Um esgar de dor é substituído por um sorriso.
Põe a máscara…a última do dia.

Tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara.
Aproxima-se  a hora do frente a frente na televisão em direto. Endireita o nó da gravata e ensaia várias expressões  em frente ao espelho. A sua boca abre-se num sorriso aberto.
Sorrir agrada ao povo, mais do que se faz ou do que se promete. Prometer não custa nada…até é de graça.
Tem de vencer os adversários. Passar a mensagem só com a sua imagem.
Fazem-lhe um sinal. Chegou  a hora. Pela décima vez repete o ensaio. Sorri e pensa para si:
Está perfeita…esta sim…foi feita para mim!...

Põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara.
A estrada desta vida é um palco de teatro!
Nela, alguns de nós somos atores, alguns de nós somos palhaços.
Tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara.
Proliferam pelo mundo inteiro, cordeiros com máscara de lobos e muitos mais lobos mascarados de cordeiros. Sem máscara…existem biliões de capuchinhos vermelhos!