Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





17/01/17


imagem google

o tráfego louco que me pisa
traz lembranças de alfinetes enferrujados a rangerem em mim,
fechadura da porta da casa abandonada à séculos.

os êmbolos do coração,
seguem o tráfego com os dias marcados na memória.

quantas vezes dobrei o meu pranto em quatro estrangulada pelo chicote,
dobrada por pedras arremessadas ao meu espirito.
outono…novembro!
charco de alfinetes, chicotes, pedra, punhais.
tráfego que me pisa sempre na mesma estação
sempre no mesmo mês
numa persistência induzida pela morte transfigurada.

a inspiração não me pertence.
desce sintagmática em silêncios cúbicos dos cosmos
encharcando meus dedos num mar de palavras dos poetas mortos(vivos).

peço-vos, por favor, para demolirem a casa.
eu quero descansar…descansar…descansar…


Teresa Gonçalves 2016 Novembro



2 comentários: