Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





21/12/14

BOAS FESTAS






O Natal é um momento especial, de confraternização, renovação, solidariedade e esperança.
Porque acredito, desejo a todos amigos/as e seguidores com carinho e amizade um...





05/10/14

GOSTO DELAS






Gosto delas
do seu nome e falo com elas


gosto delas
gosto de as ver cintilar
e ver o brilho da sua claridade
reflectida em cada olhar


gosto delas
gosto de as ver no imenso véu de escuridão a iluminarem o céu
e calmamente respiro
aspiro e expiro o ar macio da noite primaveril


gosto delas
do seu nome e falo com elas

gosto delas
gosto de as ver espelhadas nas calmas águas dos rios
acompanhadas pelo luar
convidando a humanidade a ornar o verbo amar


gosto delas
gosto de as ver unidas ou separadas
a preencherem o vazio do nada
e quando
desmaiam cansadas ou fogem ao despertar a madrugada
abro as janelas da minha alma em transe para outras eras


gosto delas
gosto de escrever o seu nome em verso
com três sílabas
três vogais
mais o amor que me une
ao Universo
-Estrelas-


28/09/14

CONVITE: LANÇAMENTO DO LIVRO «OLHOS DE VIDA» DA AUTORA E AMIGA OTÍLIA MARTEL ( MENINA MAROTA)



POESIA PODE E DEVE SER:

AMIZADE

ENTREGA

SOLIDARIEDADE E...«OLHOS DE VIDA»


E A VIDA SÓ TEM OLHOS QUANDO A VEMOS COM POESIA.

18/09/14

CONVITE



MAIS UMA SESSÃO POÉTICA PARA TODOS QUE AMAM A POESIA E VIVEM PARA ELA DE ALMA E CORAÇÃO.

«Tudo vale a pena quando a alma não é pequena» Fernando Pessoa






04/07/14



O QUE É SEU A SEU DONO.


DOU CONHECIMENTO A TODOS QUE ADQUIRIRAM O LIVRO LAÇOS ( DUETO) DA MINHA AUTORIA E DA DRª MANUELA BARROSO DE QUE, POR LAPSO DO EDITOR, CONSTA O POEMA DA PÁGINA VINTE OITO COMO SENDO DA MINHA AUTORIA O QUE NÃO CORRESPONDE À VERDADE. O DA PÁGINA 27 É MEU E O DA 28 É DA DRª MANUELA. APROVEITO ESTA OPORTUNIDADE PARA PARTILHAR CONVOSCO O REFERIDO POEMA, PARTE I E II, DE MINHA AUTORIA E DA AUTORIA DA DRª. MANUELA BARROSO

ANTE O SILÊNCIO ( DUETO) - PARTE I DO LIVRO LAÇOS, PÁGINA 27

Maia

Ante o silêncio dentro de mim
canta agitada a flauta do vento
pelas friestas das janelas.

Afasto os cortinados
e escurecem-me os olhos na dança brusca das flores
que temem cair das floreiras sem sentirem a brisa amena
nem o brilho do sol da primavera.

Numa tristeza infinita 
penso:
quantas flores humanas
não dançam na estrada da vida
como elas!

Teresa Gonçalves

ANTE O SILÊNCIO ( DUETO) -PARTE II DO LIVRO LAÇOS, PÁGINA 28

Gerês

No silêncio onde mergulhas a flor do pensamento
verás que nas pétalas da gente
o vento não tem a força nem o canto dele vence
a eterna dança do Amor

No homem como na flor continua a valsa do vento
umas vezes
é trigo amargo
outras é mel onde trago
leve aragem ao pensamento

Na floreira da vida quando os ventos estremecem
o caule da flor tardia
os olhos escurecem perante a flor murchando
onde sem seiva fenecem os sonhos
que vão morrendo na flauta do vento.

Manuela Barroso



04/06/14

CONVITE PARA TODOS OS MEUS SEGUIDORES ( LANÇAMENTO DO LIVRO LAÇOS-DUETO)



OS MOMENTOS FELIZES DEVEM SER PARTILHADOS COM OS AMIGOS.
EMBORA JÁ HÁ ALGUM TEMPO ME ENCONTRE AUSENTE DO MEU BLOG ( POR MOTIVOS ALHEIOS À MINHA VONTADE, NÃO POSSO NEM DEVO ESQUECER A GRATIDÃO QUE SINTO POR TODOS OS MEUS SEGUIDORES.
É COM CARINHO E AMIZADE QUE  LHES COMUNICO E CONVIDO  PARA O LANÇAMENTO DO LIVRO LAÇOS-DUETO, QUE NASCEU POR UM DESAFIO DA EDITORA.
UM LIVRO DIFERENTE.
HONREM-NOS COM A VOSSA PRESENÇA , ( CLARO A QUEM FOR POSSÍVEL.)
BEIJINHOS AMIGOS EM VOSSOS CORAÇÕES. 





02/03/14

MÁSCARA


Põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara.
Soltou o cabelo e olha-se ao espelho.
- sou eu ou a máscara?
Já não se conhecia. Ninguém naquela casa se preocupa com o que ela faz ou deixa de fazer, com o que sente ou deixa de sentir. Quantas páginas da sua vida desmembradas em silêncio. Sempre a viram sorrir.
Mulher, mãe, amante, irmã e amiga!
Desgastada, entende-se no leito e seu marido com brutalidade aperta-a contra o peito.
Um esgar de dor é substituído por um sorriso.
Põe a máscara…a última do dia.

Tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara.
Aproxima-se  a hora do frente a frente na televisão em direto. Endireita o nó da gravata e ensaia várias expressões  em frente ao espelho. A sua boca abre-se num sorriso aberto.
Sorrir agrada ao povo, mais do que se faz ou do que se promete. Prometer não custa nada…até é de graça.
Tem de vencer os adversários. Passar a mensagem só com a sua imagem.
Fazem-lhe um sinal. Chegou  a hora. Pela décima vez repete o ensaio. Sorri e pensa para si:
Está perfeita…esta sim…foi feita para mim!...

Põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara.
A estrada desta vida é um palco de teatro!
Nela, alguns de nós somos atores, alguns de nós somos palhaços.
Tira a máscara, põe a máscara, tira a máscara, põe a máscara.
Proliferam pelo mundo inteiro, cordeiros com máscara de lobos e muitos mais lobos mascarados de cordeiros. Sem máscara…existem biliões de capuchinhos vermelhos!

31/01/14

TOCAM SINOS


Tocam sinos de saudade do tempo
em que o sorriso era uma flor nos lábios.
A intensidade do som fere,
o coração contrai-se, aperta,
quase rebenta como um balão de ar.
Talvez fosse melhor do que sentir
o corpo a encolher e a alma de dor a dilatar,
atingida por fragmentos de rocha quebrada.

Tocam sinos de saudade…
A solidão em escravos silêncios povoada,
É acompanhada pelo áspero odor de humidade
que corre pela casa.
A casa onde outrora habitou o sol da ternura,
hoje é noite a guardar insónias.

A flor murchou.
Tombou inerte no chão húmido e frio.

Tocam sinos de saudade…
Entoam impiedosos galgando a memória
a sondar o passado num domínio sufocante.
Uma frieza distante…


Uma sombra passa vestida de ausência,
talvez  a ver para crer como se pode viver a morrer.
Sinos tocam. Tocam sinos. Mudam de som. Tocam a rebate.
Em cada toque sugam o tutano de todas as sílabas das palavras.
Puro engano!
Nasci para ser feliz!

Teresa Gonçalves

16/01/14

CONVITE

*PARA QUE HAJA GRANDES POETAS É PRECISO QUE HAJA TAMBÉM UM GRANDE PÚBLICO*
«Walt Whitman