Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





29/12/18

FELIZ ANO NOVO

PARA OS MINHAS/MEUS SEGUIDORES



08/12/18

E SE O MENINO VOLTASSE A NASCER?


             Imagem da Google


                                                                    

será que aparecia a estrela rasgando o céu divino
a anunciar o Seu nascimento?

o que seria de diferente?

talvez a história se repetisse. não sei. não sei.
fecho os olhos. e revejo a cena a que nunca assisti.

o que seria de diferente?

antevejo os desígnios dum Menino Deus sozinho
a lutar contra as atitudes dos Herodes de hoje
que constroem bombas atómicas e muros de arame farpado.
espalham a morte. alimentam o medo e a fome de milhões de inocentes. vedam a passagem à Fraternidade. Ao amor. à Esperança e à Paz.

é Natal !
e não se acha a fórmula eficaz
de equilibrar o fiel da balança neste mundo.

E se o Menino voltasse a nascer?
quem O iria reconhecer?

Teresa Gonçalves

2018/12/06

19/05/18

SÍNTESE








 vamos falar de pedras paralelas aos rios
de ruas sem nome e portas sem números
de casas devastadas nas mãos do fogo
de vidas perdidas rasgando o fumo no amargo da noite
e de sons abertos no solo do abandono

vamos falar na cruz lancinante a suar no dorso da noite
de silêncios embutidos nas unhas dos gatos fugitivos
dos seus pelos eriçados pelos medos ancestrais

vamos falar de felinos à espreita no peito assassino
para abrir caminhos às sirenes que o vento desviou

vamos falar de portas fechadas condenadas ao espectro da palavra
JUSTIÇA na onda de odores mortais

vamos falar da seca e a seguir do frio
da dor de um planeta profundamente magoado
que assume o lugar de um parto gigantesco  de fora para dentro

já não me apetece falar. sinto o corpo gelado.
o Universo penetra-me. entra dentro de mim. Sinto o seu peso
o peso profundo da sua dor que me esmaga o cérebro e irrompe um queixume da minha alma.






Teresa Gonçalves,  Dezembro 2017


09/04/18

ANTOLOGIA « POESIA PORTUGUESA» BILINGUE


Esta é a Antologia « Poesia Portuguesa» Bilingue, lançada no dia 24 de Março de 2018,
pelo quinto aniversário do Grupo. Participam quarenta e nove autores homenageados 
 pelo Grupo Asas de Poesia, com poesia inédita.




23/02/18


Imagem Google

A MAGIA DO DESPONTAR
                                                                             
O que escrevo está num esconderijo onde as sílabas nascem inquietas antes. muito antes do início.
há probabilidades de se unirem e formarem a palavra nas nervuras do tempo e ser poema numa trajetória inversa antes da primeira madrugada do início.
há um tempo
há um espaço vago
há um poema que nasce
há um ano que passa e as letras rodopiam e regressam antes do início. abertura para o interstício das horas à superfície  do esconderijo: Alma
a magia do despontar do início cruza-se com o fim.
o fim depois do início na improbabilidade de ser espírito
alma ou corpo transforma-se em sílaba em movimento
tal mariposa de asa imensa numa dança leve e contínua ao encontro da linha do Universo rasgando o ventre da ordem até à desintegração.
o que escrevo está no esconderijo da lucidez e portanto da loucura único caminho que resta para reconhecer o nível de sensibilidade, do sentir e das ações para não pactuar com a mediocridade nem dar fé à ignorância. O terrorismo monstruoso da mentira.
há um ano que passa
há um poema que nasce
há um espaço vago
há um tempo
o tempo corredor da vida. espaço represo em sílabas que separa o início  há milhares de milhões de anos- luz. dando ao homem a oportunidade de brincar com um certo jogo matemático com o objetivo  de corroer tudo o que foi criado.

há o início e há o fim.

Teresa G.
     

04/02/18


CONVITE 
APESAR DE ULTIMAMENTE NÃO VIR AO MEU BLOG, NUNCA ME ESQUEÇO DAS AMIZADES MARAVILHOSAS QUE TIVE O PRAZER DE FAZER. OBRIGADA AOS MEUS SEGUIDORES E ESTÃO TODOS CONVIDADOS PARA ESTE DIA.
BEIJINHOS EM VOSSOS CORAÇÕES