Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





04/03/13


fecham-se os olhos do sol em ciladas de frio
e estendem-se as horas soletradas
pelos ponteiros do relógio
no inefável desespero da solidão
porta sim, porta sim, porta sim, porta não…
os rostos são apenas poemas frios
vocábulos da ausência
de uma chama a florir
entre os ecos do vento
e o espesso vazio…
o céu despeja a noite
descendo pelo corrimão
dos prolongados minutos
que são horas de nuvens                                      Imagem Lucemar de Sousa
desfilando frias
sobre pássaros feridos
em frente ao espelho do tempo
no qual se morre em silêncio de olhos abertos…

no silêncio gelado
ouvem-se as horas soletradas
pelos ponteiros do relógio
porta sim, porta sim, porta sim, porta não…


Teresa Gonçalves

15 comentários:

  1. Creio que pode haver uma esperança, que não existirão portas não, pois o tempo é sempre um grande aliado.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  2. Olá querida amiga,
    O tempo - demorado, frio -, a solidão numa noite partilhada.
    Poema sublime! Adorei.
    Bjis, xis, inspiração e muita luz, calor e amizade!

    ResponderEliminar
  3. Por muito que eu queira acreditar não tenho esperança que todas as portas não sintão o silêncio gelado!
    Estamos em sintonia com o silêncio.
    Boa semana minha querida Tecas

    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  4. É tão lindo e tão comovente. Gosto tanto de te ler. Um grande beijo

    ResponderEliminar
  5. Eu que adoro silêncio não me situei neste espaço denso e frio. A beleza melancólica desta cadência, como o pêndulo monocórdico das noites sozinhas, avivou a solidão que existe sempre algures. A musicalidade perde-se num tempo tão melancólicamente belo, ganhando uma visualização de um quadro onde se concretizam os vazios da noite.
    Querida amiga Tequinhas, quando pensava que já tinha lido o que de mais belo produz, cada vez é mais surpreendente!
    Não digo mais, porque o belo não se explica. Sente-se.
    Grande abraço
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Bom dia amiga Tecas que saudades de voce amiga adorei começar o dia lendo este belissimo poema,parabens é lindo vim trazer um abraço de bom dia cheio de carinho bjs marlene

    ResponderEliminar
  7. Que intensidade!
    ..."os rostos são apenas poemas frios"... : Maravilha!

    => Crazy 40 Blog
    => MeNiNoSeMJuIz®

    ResponderEliminar
  8. Un poema precioso aunque triste.Me encanta.Besitos.

    ResponderEliminar
  9. Ola Tecas, vim lhe desejar tudo do melhor e dizer que senti saudades deste seu encantador cantinho.
    uma linda semana semana para voce.
    beijinho
    com carinho Maria Alice

    ResponderEliminar
  10. Olá, como tem passado?
    Um poema interessante, sentido e bem composto!
    Gostei.
    Saudações minhas!

    ResponderEliminar
  11. O silencio deixa um barulho.....beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  12. Um poema maravilhoso. Cada dia é um presente e cada dia uma aventura.
    As portas serão aquilo que delas fizermos - sim/não

    ResponderEliminar
  13. Tão belo como sempre!...
    Fizeste-me recordar a dos malmequeres...
    Abraços de amizade, querida amiga e, um mimo...

    ResponderEliminar
  14. Ao passar pela net encontrei o seu blog, estive a ler algumas coisas e posso dizer que é um blog fantástico,
    com um bom conteúdo, dou-lhe os meus parabéns.
    Se desejar faça uma vista ao Peregrino e sevo e deixe o seu comentário.
    Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.

    ResponderEliminar