Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





05/03/09



















sou o que sou e assim me deixem ser.
sou brisa
e descanso sobre a brisa que me acalma
sou fogo
que arde e ardentemente me queimo
sou chuva
e na minha chuva me afogo
sou neve
que cai leve vertical sobre mim mesma
sou tufão
que abraça todos os ventos e me destrói
sou vulcão
que em erupção solta lava de revolta
sou natureza---filha da Natureza
vibração---amor---revolta.
sou o que sou e assim me deixem ser.
rejeito ser molde inventado
de um projecto no tempo imaginado
rejeito ser relógio que se acerta
rebot de comando---barro moldado
ou pedra polida.
sou o que sou e assim me deixem ser
que este condensar de emoções
só o poema do Universo o sabe entender.

"in" antologia de poetas
de s. mamede infesta

1 comentário:

  1. Passei para ver! Excelente poema Tecas! " rejeito ser relógio que se acerta"...querida amiga és por natureza rebelde.
    Beijos
    Graça

    ResponderEliminar