Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





16/01/11

NAQUELE LEITO

Imagem Google

no calor da noite tropical,
a tua boca foi fonte de desejo,
desfolhavas-me o corpo com um beijo
num delírio ardente, sensual.

ouviam pulsar os nossos corações
as estrelas no céu... mais o luar
e abriu-se o Universo por nos ver amar
ao mágico cântico dos pavões.

naquele leito quente de capim,
fizeste-me um lindo jardim
e deste-me um trono de rainha!

quis Deus, dar-me esse direito,
de ser amor num todo em teu peito
no meu breve voo de andorinha...

"in" painel multicor-volume II

21 comentários:

  1. Leve e escrito desenhado como um olhar (ar)riscado pelo movimento de andorinhas, onde os teus versos... Beijos

    ResponderEliminar
  2. Um leito assim, Tecas, também eu o desejo!
    Imagino como será amar ouvindo os pavões a cantar...
    Lindíssimo poema.
    Beijos
    Catarina

    ResponderEliminar
  3. Olá, amiga!

    É esbelto o seu poema, em forma de soneto!

    * Como não sei o seu mail, vai mesmo aqui.

    Quanto ao meu livro, sim. Ele é diferente
    de todos os que publiquei. E já lá vão 19...
    É todo em papel couché e tem os poemas e as reproduções dos quadros, a cores.
    Custa 5 euros e eu pago os portes.
    Mas preciso saber para onde o enviar
    e qual o nome que ponho na dedicatória.
    Só depois de receber lhe digo a forma de retribuição.


    Desde já obrigado.

    Saudações minhas

    ResponderEliminar
  4. Mas que belo poema, minha querida amiga!!!

    Com um voo de andorinha me despeço com um abraço!
    Jorge

    ResponderEliminar
  5. Tecas,

    Na sensualidade das palavras consigo ver o sentimento do coração, grávido de bondade amorosa, revendo o pretérito adivinhando o futuro..

    Gosto mt.

    bjos

    PjCondePaulino

    ResponderEliminar
  6. E aqui estão os sonhos de qualquer um de nós...
    Lindo...parabéns...feliz por aqui ter passado.
    Bjito prateado

    SOL

    ResponderEliminar
  7. Lindissimo amiga, quem não deseja assim um leito de amor??? todos, espero ter por toda a iternidade....beijinhos amiga !!!

    ResponderEliminar
  8. É mesmo um poema de paixão: sensual e terno.
    Gostei muito. Um beijo, amiga.

    ResponderEliminar
  9. Quem dera ser amar assim, no calor da noite tropical!
    Belo poema, Tecas.
    Beijo
    C.A.

    ResponderEliminar
  10. Um poema de terna paixão. Lindissimo.
    Feliz por o ter lido!
    Um beijo da amiga,
    Helena P.

    ResponderEliminar
  11. As tuas palavras estão impregnadas de África...
    Teresa, o teu soneto é excelente. Gostei muito.
    Querida amiga, bom resto de semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  12. Olá Teresa. Muito belo este teu poema, como nos vens habituando;parabéns!
    Quero dizer-te que o poema no meu blog, não é do Orlando mas sim meu, sobre um dele.
    Bjs. e obgd pelos comentários.
    M.M.

    ResponderEliminar
  13. Excelente poema de amor, amiga!
    Gostei imenso.
    Bom fim de semana.
    Beijos
    Jorge Santos

    ResponderEliminar
  14. Teresamiga

    O melhor que tenho de fazer é transcrever-te: «no calor da noite tropical,
    a tua boca foi fonte de desejo,
    desfolhavas-me o corpo com um beijo
    num delírio ardente, sensual».

    Um soneto é um... soneto. Desde que Jacopo de Lentini o inventou, foi-se transformando de tal forma que os grandes Dante e Petrarca foram nele expoentes máximos.

    E tu, cara Amiga, tens o teu lugar entre os que em língua portuguesa souberam compor esses catorze versos agrupados em dois quartetos e dois tercetos. Citar nomes, para quê?

    Já sou teu Seguidor; espero que sejas minha (per)seguidora. E muito obrigado pela visita e pelo comentário; reincide...

    Qjs = queijinhos = beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Passando do olhar à escrita:

    NAQUELE LEITO/ A NOSSA REDE

    no calor da noite tropical,
    ainda sinto o coração bater
    a tua boca foi fonte de desejo,
    com o calor dos teus lábios
    desfolhavas-me o corpo com um beijo
    o Universo novo acontecer
    num delírio ardente, sensual.
    busco prazeres mais sábios

    ouviam pulsar os nossos corações
    escuto em cada das palavras
    as estrelas no céu... mais o luar
    movimentos de órbita lunar
    e abriu-se o Universo por nos ver amar
    em torno dentro das trovas
    ao mágico cântico dos pavões.
    eu venho para poder cantar

    naquele leito quente de capim,
    rolando para um chão duro
    fizeste-me um lindo jardim
    tão macio cobres o desejo
    e deste-me um trono de rainha!
    dando-me o ceptro tão puro
    quis Deus, dar-me esse direito,
    erguido vibra a cada beijo.!.
    de ser amor num todo em teu peito
    as andorinhas escrevem-te...
    no meu breve voo de andorinha...

    ResponderEliminar
  16. Quem viveu em África como eu,ao ler este poema sente saudade do calor tropical, do cheiro e da paisagem.
    Lindo leito, excelente poema...
    Beijos
    José Pedro

    ResponderEliminar
  17. Olá Tecas, na sensualidade das tuas palavras consigo cheirar África.

    Um beijo

    Boa semana

    ResponderEliminar
  18. Belo e com a sensualidade das noites tropicais !
    Um beijo , amiga *

    ResponderEliminar
  19. Tecas,

    Belo, intenso, sensual... as palavras do poema são doces caricias!

    Abraços,
    AL

    ResponderEliminar
  20. Teresa Gonçalves
    Preciosa amiga, este seu Soneto, está belíssimo, tem um "que" de sensualidade que deixam nos ares
    um céu todo repleto de andorinhas, como voce escreveu bonito, meus
    PARABÉNS, é gratificante sua amizade neste mundo das letras,
    beijos, com afeto, sua amiga,Efigenia

    ResponderEliminar
  21. belíssimo poema ..
    aliás, adorei todos os escritos daqui ...
    um abraço ...

    ResponderEliminar