Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





16/04/09



















sentada sobre os grãos dourados
liberto palavras.
liberto-as no poema FAROL de luz
para aquecer a noite
crivada de medos embrulhada em solidão
neste MAR IMENSO agitado em algas de indiferença.

ERODIDO oceano
espelhado nas vozes velozes e ondulantes
que levam à rota do DISTANCIAMENTO
quando entram carregadas de TEMPESTADE
pelas bocas entreabertas das falésias da vida.

liberto palavras.
liberto-as no poema
de um canto humilde dirigido ao CÉU
em tempo de busca do astro luz
numa FUSÃO de amor e paz
como uma haste erguida sem ser AMORTECIDA
nos passos do vento norte
nem no frio agreste dos cavalos da morte
onde se oculta o culto inculto das armas
que obriga a COMUNGAR
o castrante e AVASSALADOR veneno
das marés loucas do poder
que gasta e desgasta o AZUL celeste
numa nuvem sombria na proa do silêncio.



Ísis(TG)

3 comentários:

  1. e como é bom, querida tecas, perseguir o astro de luz, através das palavras. um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. agradeço imenso o teu elogio mas na verdade sinto-me pequenino ao ler a tua poesia!
    Um grande abraço :
    Angelo Morgado

    ResponderEliminar
  3. Está excelente, Tecas!! O meu está mais que sintético...eh eh muitos beijinhos.

    ResponderEliminar