Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





27/04/09

imagem autor desconhecido




eis que me encontro aqui perante ti
numa prece de palavras escritas
tentando fazer florescer carícias
na hora de desnudar silêncios
ao pulsar das emoções.


cheiro o aroma macio do amanhecer das flores
e respiro a frescura do canto das águas
como o despertar de um sonho
em gestos livres de clara luz
sem invenções de batalhas de maldade


não calço sandálias de pescador
e o meu coração tem a fragilidade de um cravo
não beijo a mão imposta pelos credos
mas beijo as mãos abertas das crianças


ao mundo dou o meu sentir do mundo
e assim me encontro perante ti
nesta prece de palavras escritas.

Ísis ( TG)


10 comentários:

  1. excelente poema
    uma simplicidade bonita
    beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. ______________________________________

    Muito, muito bonito esse poema!

    É mesmo uma oração...


    Beijos de luz e o meu carinho!!!

    __________________________________________

    ResponderEliminar
  3. E na simples grandeza de alma perfumada da mãe natureza, ouço de novo a voz da poesia, no teu caminhar descalço sobre o prado em flor.
    Parabéns Teresinha

    ResponderEliminar
  4. Um poema que é mesmo "uma prece de palavras escritas". Gostei. Um beijo.

    ResponderEliminar
  5. A sensibilidade e a emoção estão patentes na sentida e devotada prece.

    Cumprimentos meus

    ResponderEliminar
  6. Gostei do teu poema.
    Pareceu-me autobiográfico... principalmente quando dizes:
    "e respiro a frescura do canto das águas
    como o despertar de um sonho
    em gestos livres de clara luz
    sem invenções de batalhas de maldade"
    Principalmente porque te acho uma pessoa boa...
    Cara amiga, um bom fim de semana para ti.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. sente-se mundo a pulsar nas tuas palavras
    adorei conhecer-te e adoro as tuas palavras agora que as descobri
    voltarei, se me permitires
    beijos

    ResponderEliminar
  8. Obrigada poetas Nilson e Carla. Querido amigo, não sou boa, basta-me ser humana e...nua. < Não calço sandálias de pescador, nem beijo a mão imposta pelos credos>. Nasci a fazer o "pino" e é nessa posição vertical de pernas para o ar que vejo o mundo. Posição nada cómoda para a sociedade em que vivemos. Detesto a hipócrisia social,religosa, desigualdade e falsa caridade. Amo a solidariedade, a amizade e a partilha sem interesses ocultos. É esta a minha posição e será assim que partirei...verticalmente de pernas pró ar...e é para mim uma honra ter um seguidor como tu, excelente poeta Nilson. Bji poético.
    Carla linda, para mim foi uma alegria conhecer-te pessoalmente. Obrigada por comentares o poema.
    No próximo dia 8 de Maio,às 21,30 aparece no lançamento do livro" Na mesma viagem" da Irene Lamolinair, na biblioteca Drº Vieira de Carvalho,sito no Forum da Maia. da Câmara Municipal da Maia. Como não tenho o teu email, envia-mo para < tecaspoetry@gmail.com> ou para isis.123456@hotmail.com.
    Bji amigo querida.

    ResponderEliminar
  9. Venho desejar-te um feliz fim de semana e feriado tambem
    beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Querida amiga, eu não disse que eras boa pessoa, mas sim pessoa boa. Ou seja, não te via a calçar sandálias de pescador nem a beijar a mão a ninguém... e porque disseste "mas beijo as mãos abertas das crianças".
    Boa semana, beijos.

    ResponderEliminar