Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





18/04/09

VIGÍLIA

imagem - autor desconhecido






quando o labirinto da mente
fecha a lembrança

quando na sementeira da penúria
o sol assobia e bebes suor

quando a raiz é verde
e a espiga apodrece

quando o coração das flores
se agita na noite

quando a fadiga toca guitarra
com punhos de vento

quando Abril arrefece no relógio do tempo
marcando o silêncio

rompe no seio das promessas
as revoltas do passado
e em órbita
soa o canto da liberdade
no mar do povo
da minha pátria


"in"olhar interior

8 comentários:

  1. Olá Teresinha!
    Obrigado pela amizade e solidariedade.
    Espero que o encontro de poesia no Flor tenha corrido "altamente".
    Se tiveres um resumo e nº de presenças, e se possível alguma foto tirada por algum dos poetas presentes, dá-me conhecimento via E- Mail.

    Procurarei elaborar o registo do acontecimento para o Zémaiato e para o Site do Flor de Infesta.
    Abraço de amizade.
    Obrigado

    ResponderEliminar
  2. "quando a fadiga toca guitarra
    com punhos de vento"
    Belo poema! Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Soberbo poema cara amiga.
    Gostei das metáforas, do ritmo, da sonoridade, enfim, gostei do todo do poema.
    Assim vale a pena ler poesia. Parabéns.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  4. encontro bem o meu sentir no teu.
    Bjs
    Luz e paz e k o 25 de Abril floresça ns corações de muitos

    ResponderEliminar
  5. e a pátria vive aqui: nas tuas belíssimas palavras, amiga.

    um beijinho
    jorge

    ResponderEliminar
  6. muito bonito, tecas!
    que nenhuma flor murche no tempo...

    adorei rever-te.

    beijos
    luísa

    ResponderEliminar