Com a voz do coração dou as boas vindas e agradeço a visita, porque, a semente mais pura do pensamento, está no coração.





03/12/10

Imagem da Net

entrego
o pensamento ao sonho
do primeiro poema o verbo
no êxtase de partir
sem ramo
sem remo
sem rima
sem rumo
num voo único
e deixar
sobre a solidão pesada do deserto
a certeza
de existir na noite
a consonância inversa
do verbo

livre levitar
por outras margens
descobrir o caminho
de outras paragens
conhecer a luz
da outra passagem
sem medir o silêncio nem a distância
sem a música dos medos
nem a composição sombria das armas

multiplicar a sensação
na substância simples
do amor em linha recta
nas asas do sonho
do primeiro poema:
verbo amar.

"in"Singelo Canal

18 comentários:

  1. Levitando por outras margens em sonhos, encontrarás o caminho, amiga Tecas.
    Poema belíssimo.
    Bjs
    José pedro

    ResponderEliminar
  2. Oi, Tecas
    Ando meio apressada.
    Sem tempo para, quase, nada.
    Mas, eu vim aqui, por outras margens,dar-lhe um abraço.
    Sentir esse livre levitar
    descobrir o caminho
    sonhar.
    "De outras paragens
    conhecer a luz"
    Com carinho
    Fátima

    ResponderEliminar
  3. Multiplicar a substância simples do amor em linha recta...Sentir o sonho do primeiro poema do verbo.Bonita mensagem num lindo poema, Tecas.
    Beijo-te com carinho da amiga,
    Catarina

    ResponderEliminar
  4. Amiga, grande momento poético, sublime sentir carregado de fortes emoções, adorei ler voce hoje, obrigada por compartilhar este seu evento poético, com admiração e afeto,
    Efigenia

    ResponderEliminar
  5. "...sem ramo/sem remo/sem rima/sem rumo..."
    fizeste um belo poema!
    Assim vai a vida a nossa vida, tanta vez, sem nada ou quase que nos possa dar alento.
    Bjs.
    M.M.

    ResponderEliminar
  6. Olá amiga Tecas,..."sobre a solidão pesada do deserto..."! Triste e de mão cheia de emoções este poema teu.
    A mensagem é bonita e triste, contudo dá esperança e conforto.
    Belo.
    Beijo
    C.A.

    ResponderEliminar
  7. Olá Tecas.
    Escrever poesia é coisa bela,
    mais belo ainda
    é o poeta estar dentro dela

    ResponderEliminar
  8. Apreciei o ritmo,

    a elegância da escrita,

    a sonoridade,

    o tema!

    Saudações poéticas

    ResponderEliminar
  9. Entregar o pensamento ao sonho e partir em êxtase, sem rumo, à deriva, esperando que seja o coração a escolher o caminho...
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  10. O sonho, dá a liberdade na alma, desejada.
    Irás onde ele te levar, sem ramo, sem remo, sem rima, sem rumo...ao encontro do verbo...ser!!!
    Bjs
    Helena P.

    ResponderEliminar
  11. E dessa entrega resultou um excelente poema.
    Gostei imenso, querida amiga. Como sempre, a tua poesia é um deleite para os sentidos.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  12. querida teresa :) foi com o verbo "amigar" que liguei para o número simpático que me enviou... não houve resposta, ainda, mas voltarei a tentar! se estou triste é só por a minha mãe estar doente há vários dias, com os primeiros sinais de melhoras a aparecerem só agora... desculpe a minha ausência... um beijo e muitas saudades!

    ResponderEliminar
  13. O único verbo que justifica a vida ... amar! Um poema tão belo!
    Um beijinho para ti *

    ResponderEliminar
  14. «multiplicar a sensação
    na substância simples»
    Boa poética, para o poema, para a vida! Bjs

    ResponderEliminar
  15. Entrega poética incondicional, Tecas?
    O verbo amar une à beleza do poema, a elegância da escrita.
    Soberbo!
    Beijo
    Jorge Santos

    ResponderEliminar
  16. Olá Tecas, belo poema de amor, muito ritmado.
    "...sem ramo/sem remo/sem rima/sem rumo..." mas ao mesmo tempo tão cheia de tudo.

    Beijo

    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  17. Lindíssimo este poema amiga, Quero dar-lhe os parabéns, já agora aproveito para lhe desejar um feliz Natal beijinhos !!!

    ResponderEliminar